quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

...e foi assim!


2008 foi marcado por sucessos, graças e alegrias... e que seja assim no próximo ano.

Que venha 2009!!!

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Sticky and Sweet, o Show


Eram 19h40 do dia 18 de dezembro de 2008 e eu ainda trabalharia até as 22h no plantão em casa, esperando para ser chamado para cobrir a programação de algum colega que poderia faltar. Teria que sair correndo de casa, caso isso acontecesse e eu resolvi arriscar. Liguei para verificar a programação e abri o jogo: "tenho a oportunidade de ir ao Show da Madonna, hoje. Me libera um pouco mais cedo?". E com a resposta positiva do outro lado da linha, tive a certeza de que estava escrito que eu ia pro show da Véia.

As 20h05 eu estava arrumado, com o cabelo desgrenhado propositadamente, suando bicas, dentro de um taxi enfrentando um trânsito mais morno. Nesse horário, nessa época do ano, já não há mais congestionamentos gigantescos na cidade.

Pelo telefone, o Paulo (do Cantinho Escuro) e o ETC (de Salvador) me davam o GPS do show. "Ela ainda não entrou", "vem logo!", "está suepr tranquilo", "tem ingressos pra caramba lá fora", "cambista esta vendendo muito mais barato" foram coisas que me incentivavam a ir. 

O motorista do taxi, seu Pedro, de Salvador, entrava e saia de buracos evitando alguns pontos de trânsito e, manhoso, burlava alguns semáforos, entrando e saindo de ruas desconhecidas. Isso lhe rendeu uma gorjetinha básica de mais de 15% do preço da corrida. Ele agradeceu, disse que não precisava, mas eu insisti. Se fosse um tiozinho lerdo que estivesse dirigindo, eu teria um ataque cardíaco.

Cheguei no Morumbi e, no caminho para a fila, pessoas loucas vendiam ingressos a rodo. Me pediram R$100 reais pela Pista e eu falei que acharia mais barato. Me senti nas Casas Bahia: "quer pagar quanto?". Negociamos e eu paguei $50 reais no ingresso que valia R$250 (depois, fui descobrir que mais próximo da fila, o mesmo ingresso estava sendo vendido a R$30).

Entrei na fila... mais de 500m de fila, que andava aos poucos, mas andava. Lá dentro, ETC me informava que o DJ Oakenfold já tocava. Eu tremia. Não queria perder a entrada do show. Toda aquela pressão, antes da mulher soltar a primeira nota e levar o Morumbi ao delírio.

Na fila, uma primeira impressão: as pessoas não interagiam umas com as outras, mesmo estando no mesmo clima de festa e expectativa. Muito diferente do Carnaval de Salvador, onde desconhecidos trocas apertos de mãos, sorrisos e palavras de alto astral. Alí, sozinho, tentei conversar com meus companheiros de fila, que se resumiram a responder algumas perguntas e voltarem pra seus quadrados.

Mas eu entrei... 1h40 minutos depois de resolver ir ao show consegui encontrar ETC na muvuca. O Paulo estava na Pista VIP e não havia ingressos "pagáveis". Comercializados a R$600 no site, cambistam pediam R$1200, R$2000. Isso mesmo, MIL E DUZENTOS, DOIS MIL REAIS.

As luzes se apagaram, as pessoas enlouqueceram e ela, às 21h55 começou o show. Graças a Deus, com quase 2h de atraso. 

Uma produção espetacular. Tudo pensando minimamente, milimetricamente planejado, minusciosamente organizado, majestosamente dirigido, fortemente controlado, quadrado, preso ao profissionalismo, à necessidade de ser tudo perfeito: e era. Os telões, os vídeos, as performances, as transições, os bailarinos, os cacos, os sorrisos.

Ela nem se preocupava em falar nossa língua, mas era entendida por todos na linguagem universal da música. O show esquentou e ela apresentou músicas do seu novo álbum. 

O show durou duas horas cravadas, com quase 20 músicas no setlist. A maioria, MORNA, mas vo pontuar algumas coisas que me chamaram a atenção.

Em "Human Nature", um video com a Britney Spears ajudou no brilho do show em uma performance dentro de um elevador. Uma versão meio folk da música me embalava numa dança leve quando acordes de 4 Minutes soaram e eu aplaudi. Mas era engano, ela resolveu tocar "Vogue" com uma nova roupagem e coreografia. Muito boa, por sinal, mas ela passou 15 anos sem vir ao Brasil. Nós merecíamos a versão original de Vogue, pelo menos uma estrofe e um refrão. Mesmo assim, aplaudi, dancei e cantei junto.

Depois, ficou morno com as músicas do novo álbum, até me deparar com uma versão ROCK de uma música que não suporto ("Borderline"). Enlouqueci com a nova versão e gritei a letra juntos com os outros fãs que estavam do meu lado. Vou extrair o audio do DVD com essa versão modificada.

Depois, em "She's Not Me", dançarinas com os mais variados figurinos antigos (True Blue, Material Girl, Erotica, Vogue, Human Naturew, Rain e outros) eram descabelados, desarrumados. A maquiagem lembrava os bonecos de cera da Madame Tussauds. E ela negou cada um dos ícones que criou em suas versões anteriores.

"La Isla Bonita" chegou mais rápida, acompanhada de violões espanhóis e violinos numa versão super dançante, com performances maravilhosas dos dançarinos com seus braços enormes, musculosos e definidos.

E ela sentou-se para cantar no modelinho Voz e Violão "You Must Love Me". Linda música, entoada com um sorriso do início ao final. Aclamada pelo público, gritei, aplaudi, pulei e fiz festa junto com o Morumbi.

Em "4 Minutes", mais uma performance com video. Ela agarrava o Justin Timberlake e fazia o povo gritar com seus movimentos sexies, como se o Justin estivesse MESMO alí com ela.

E veio minha supresa. A música que valeu o show pra mim, pela performance, arranjo, roupagem e, finalmente, alguma interação entre as pessoas que estavam na platéia. "Like a Prayer" ganhou uma versão enlouquecidamente maravilhosa. Uma 'must have' no iPod. Meio rock, meio dance, meio eletrônica. Não consigo explicar. Com essa, eu finalmente suei. Para mim, um dos pontos altos do show.

Mas o climax do show não teve instrumentista. Assim como ela fez no Rio, pediu a um do fãs (o cara chamava Márcio e gritava tanto que conseguíamos ouví-lo pelo sistema de som) que escolhesse uma de duas músicas antigas para cantar. "Like a Virgin" foi cantada acapella, ao som das palmas e ela até errou a letra da música. Ela disse antes que precisava mesmo de ajuda porque esquecia as letras das músicas antigas. E o coro de fãs tomou conta do espetáculo.

No grand finale, "Give it 2 Me" fez o povo pular mais que Maimbê Dandá no Carnaval de Salvador. E ela, assim como entrou no palco, saiu.

Ela Veio... e eu fui!


Pois é... mordi a língua e morri envenenado no meu PRÓPRIO veneno!!!!

A Véia veio... e eu fui ver!

Acabei de chegar e tem resenha depois!

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Ela chegou! E eu não vou!


E ela chegou. Já fez dois shows e eu aqui, pensando... será que fiz a escolha certa ao não ir?

Agora já era. Nos dias dos shows em Sampa, estarei trabalhando. Feliz e longe, nem vendo a muvuca que vai ser aqui na cidade.

Vapes está balançado. Uma amiga resolveu ir. E ele me perguntou se eu toparia. Mas nao poderei.

Então fica o sentimento de "faltou luz na ultima parte do filme".

Tudo bem... meu bolso agradece DE NOVO!

domingo, 7 de dezembro de 2008

A Fumaça Alheia


Vou direto ao assunto: uma coisa que me irrita profudamente são fumantes em ambientes de alimentação. Tá... fumantes me irritam de uma forma geral, porque eu tenho ojeriza a cigarro, mas quando eu estou tentando saborear um prato, isso fica mais evidente porque meu humor se altera e eu fico com vontade de sair gritando (Ai meu superego).

Ontem eu estava com Vapes, Folsildi e Fonato numa cantina italiana no bexiga e pedimos, claro, pratos que nos satisfazeriam sem maiores problemas. A cantina é uma graça, os garços trabalham lá há tempos e têm um atendimento nada formal, mas são educados e prestativos. O lugar tem alguns problemas de decoração, mas foda-se... eu estava lá pra jantar e gostaria de fazê-lo sem maiores irritações.

De repente, na mesa ao lado, duas pessoas sacam um maço de cigarro e começam a fumar como se estivessem em sua própria sala de estar.

PERAÍÍÍÍÍÍÍÍÍÍÍÍ: vocês acabaram de comer, mas eu estou APENAS começando. Eu quero ter um pouco de sossego e poder saborear minha comida em paz. Eu não vou incomodar você solfejando o último sucesso da Britney Spears ou batendo palmas alta e estridetemente. Nem mesmo vou chegar a seu lado e vomitar, com os olhos vermelhos de raiva, e dizer "ops! cigarro me faz vomitar" (embora ontem eu tive MUITO essa vontade em replay na minha mente todo o tempo que o cigarros deles estava aceso).

Sinceramente! Precisa mesmo você ter que expor pessoas do mesmo ambiente à sua produção diária de fumaça? Onde fica o senso comum? Me irrito. De verdade. Tentei abstrair. Afinal de contas, eles têm o direito de fumar alí, já que a casa não proíbe tal ação.

Falei até com o DONO do lugar, mas ele me disse que não tem como proíbir, já que não tem conhecimento se a tal lei que proíbe o fumo em lugares fechados já foi homologada.

Segundo O GLOBO de 28 de Agosto de 2008 (clique aqui), desde maio, a legislação estadual proíbe o uso de cigarros e equivalentes em bancos, hospitais, escolas, faculdades e repartições públicas. No início deste ano, uma lei municipal proíbe as pessoas de fumar de charutos, cachimbos e cigarrilhas em restaurantes.

A Folha de São Paulo do mesmo dia (clique aqui) diz que Serra (atual governador do estado) assinou projeto de lei que proíbe fumar em bares e restaurantes em SP. Conversando com o Vapes, ele me disse que, normalmente, a assiatura do prefeito, governador ou presidente é a última coisa para uma lei entrar em vigor. Se for, já tenho uma arma contra restaurantes que ainda permitem o tabaco em suas instalações.

Engraçado é quando viajo no mundo de Bobby (que novidade!!!) e fico pensando em comprar um daqueles apitos de guarda de trânsito. Pra usar quando alguém estiver fumando perto de mim. Sei lá... eu fico pensando num diálogo mais ou menos assim:

(depois de vários apitos estridentes, percebo os olhares furiosos dos fumantes)
O Menino que Voa: nossa.... está incomodando, né?
Fumante: (em alto e bom som) ESTÁ, SIM!!!!
OMQV: pois é! sua FUMAÇA também! Mas á que eu tenho que sentir o fedor da sua fumaça, você ouve o ruído do meu apito.

Mas isso não seria educado e, às vezes, eu queria ser BEEEEM mal-educado pra cuidar dessas situações de uma forma que meu superego não se importaria.

A tempo, eu não desgosto dos fumantes. Tenho vários amigos que são, infelizmente, usuários desta m3rd@. Mas eles, pelo menos, me respeitam. Nao fumam em minha casa e, se estamos numa barzinho, eles procuram se posicionar de uma forma que a tal fumaça não venha pro meu lado.

Pronto! Desabafei! Estava PUTO ainda com isso.

No iTunes, Zazie canta On Eteint (Live 2007).
Na TV, alguns episódios da 8ª temporada de Smallville me espera.

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Pêlos Pubianos


Estava essses dias falando com uma amiga sobre seus causos amorosos e ela me disse que, certa vez, pediu a seu P.A. para aparar seus pêlos.  Esse pedido foi encarado como uma afronta à sua masculinidade, afinal de contas "homem que é homem anda com sua floresta amazônica particular na região pubiana", pensava ele. 

Eu acredito no oposto: homem que é homem apara seus pêlos, SIM. Não apenas pela higiene, mas também pelo belo espetáculo que pêlos bem aparados podem proporcionar.

Imagina a cara de indignação dessa amiga quando seu P.A. chega com sua "mamãe-sacode" (palavras DELA!!!) e ainda quer carinhos... não dá! Nem chegue perto que ela, com certeza, não quer fazer a linha "cheerleader" com ele (risos)!

Para os voadores de plantão, mamãe-sacode é, também, chamada de POMPOM, daquelas que líderes de torcidas, paquitas e carnavalescos usam.

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Sobre o Dialeto Fluminense


O Vapes, agora de manhã, resolveu me dizer que o Manezês está no Wikipédia como um dialeto originário do sul do Brasil, uma forma específica de falar do nativo de Florianópolis, capital de Santa Catarina, Brasil.

E eu resolvi ler o artigo. Achei interessante, pois é baseado numa publicação real, da Universidade de Santa Catarina (clique aqui). Mais ainda, por fazer referência a outros "dialetos" da língua portuguesa do Brasil: Caipira, Fluminense, Cearense, Brasiliense, Baiano, Gaúcho, Manezês, Mineiro, Nordestino, Nortista, Paranaense, Paulistano, Sertanejo e Sulista.

Eu nem sabia que existiam tantos dialetos aqui no Brasil, mas sempre admirei e gostei das diferençar existentes na nossa língua, até hoje conhecida por mim por "regionalismo".

Eu ACHO que o Wikipedia (re)definiu o regionalismo como dialetos e ficou desse jeito.

Uma característica, entretanto, me saltou aos olhos no dialeto Fluminense. Segundo a própria Wikipédia (clique aqui), ele "apresenta uma estrutura fonológica dificilmente encontrada em outras regiões, sendo algumas de suas características peculiares o "r" aspirado no final de sílaba e a abundância de ditongos e de fonemas palatais fricativos, em detrimento dos sibilantes".

(pausa para releitura!!!)

Aí eu pensei, imediatamente: "preciso postar isso" porque minha cara de interrogação foi substituída por uma gargalhada e uma vontade de lembrar, dos tempos da faculdade, que diabos eram "fonemas palatais fricativos" e "fonemas sibilantes".



Divirtam-se.....

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Pensando Alto (ou Voando Alto)


Eu navego pelos blogs Brasil (e mundo) afora, achando coisas interessantes para ler, pessoas que gostam e sabem compartilhar seus pensamentos. Que curtem escrever e desabafar.

Muitas vezes acho graça ao saber que as pessoas têm o mesmo pensamento que eu, mas muitas vezes não o colocam pra fora por receio de ser mal interpretado pelas pessoas com as quais tem convívio social.

Nessas andanças, recebi por e-mail uma dica: "Pensando Alto (ou Voando Alto)" é o blog do Vitor Fernandes. Ele resolveu voltar pra esse mundo blogueiro depois de perceber que as pessoas têm opiniões diversas, as compartilham e são abertas a críticas e sugestões no momento que "jogam pro cosmo" suas idéias.

Recebi um e-mail dele, pedindo pra visitar e, como forma de levantar sua moral e servir de incentivo, comentar em seu blog.

Estou fazendo minha parte dando mais uma Dica dO Menino, com o blog Pensando Alto (ou Voando Alto). Espero que vocês gostem!

sábado, 22 de novembro de 2008

Nostalgia Gastronômica (Bebelu)


Passei pela região do Tatuapé esse dias... mais especificamente pelo Metrô Tatuapé. Era uma sexta-feira imprensada no feriado do dia anterior, mas a estação estava O INFERNO de sempre. Cheia, com pessoas de gosto duvidoso e cabelos ensebados. Ay Díos, o que esse povo passa no cabelo? Clara de ovo? Porque fica com uma aparência tão estranha que me dá medo, misturado com nojo e repulsa. Pra mim, vai sair um bicho dali de dentro. (FOCO, Menino!!!! Foco no post!!!!)

Enfim... lá estava eu no inferno supramencionado (o elemento de formação de palavras supra-, que exprime a ideia de superioridade ou excelência, liga-se por hífen ao elemento seguinte quando este começa por vogal, h, r ou s), quando eu vi um anúncio gigante dizendo que o melhor sanduíche do Brasil estava no Boulevard Tatuapé.

Pela marca, reconheci a lanchonete que tanto eu amo, que eu ia todas as vezes que tinha oportunidade quando estava em Fortaleza, capital do Ceará. Nem pensei duas vezes, me joguei na praça de alimentação do boulevard (???) e lá estava o coração amarelo circunscrito em vermelho. Uma marca que me traz excelentes lembranças de uma das melhores capitais do nordeste desse Brasilzão de meu Deus.

Olhei rapidamente e percebi uma leve estilizada no cardápio. Creio que para concorrer com o já disputadíssimo mercado de fast food na paulicéia. Novos lanches, promoções que se pede pelo numero, entre outras coisas. 

Pedi um delicioso Picanhasco. Para os mais afoitos, que não deixaram o trocadilho em paz, eu explico: é um hamburguer de churrasco de picanha, tá?. Calmaê!!!! Esse é um blog de família! Er... quase... pelo menos.

Enfim... me deliciei com o sanduíche que, de tão bom, fez-me (com próclise e tudo!) sentir de novo da Praia de Iracema, numa nostalgia gastronômica de dar inveja. O suco de laranja, batido na hora, com gelo, sem açucar estava maravilhoso. Escrevo aqui e deu, de novo, água na boca. E as fritas não deixaram nada devendo ao McDonald's e Burguer King. Talvez menores, mas igualmente saborosas e crocantes. Mas a estrela do show foi mesmo o sanduiche. Bem feito, deliciosamente temperado com alfaces e tomates de verdade, ao invés das imitações de plástico do meu amado Mac.

Gostei tanto desse sentimento nostálgico, que depois de me jogar numa aula de Power Jump (pulei feito DOIDO!), chamei meu amigo Airborne para conhecer o lugar. Parece que ele aprovou! Quero levar meus amigos para conhecer. Afinal, é do Brasil, é do Nordeste e eu recomendo mesmo. Ah! O atendimento sorridente é uma diferença que conta. NÃO EXISTE essa de "aceitaria um sundae megamix ultra plus de chocolate com castanhas do norte da índia por mais trinta centavos?". Eles, simplesmente, te deixam à vontade para escolher num cardápio bastante variado.

Dica dO Menino
Bebelu Sanduíches - Sabor no Capricho 
1. Loja Paraíso - R. Dr. Rafael de Barros, 64
2. Loja Boulevard Tatuapé - praça de alimentaçao do 3º piso

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Atraso Não Dá Ibope


Eu sei que eu to longe faz uns dias, mas eu tava trabalhando. Virei duas noites, encontrei uma amiga querida e ainda tivemos tempo de jantar num bistrot super arrumadinho.

Mas eu ainda to cansando e DOIDO de vontade de contar mais histórias do Chander, que causou polêmica no seu primeiro post aqui no DDB!

No mais, tenho tido papos BEM legais com o Serginho (do Justo & Digno) e o Paulo (do Cantinho Escuro) por MSN! Às vezes, o autor do Confissões a Esmo aparece também, mas falamos super pouco.

To atrasado com o post sobre o show da Vovó Lauper no Via Funchal e a maratona Star Wars que fiz em casa com a cara-metade (como fala o Airborne!).

No mais, tudo bem. Andei dodói, ms já tô be melhor, pelo menos do meu descompasso interno (uma discussãozinha entre meu estômago e meu intestino - quem se f0d3 sou eu, né?).

Hoje preciso ver episódios 03 a 07 da 5ª temporada de Desperate Housewives. To atrasado pra KCT... e eu nem comecei a ver a 8ª temporada de Smallville. Ou seja, tô ferradasso de atraso!

Enquanto isso,  no iTunes, Carrie Underwood canta Some Hearts, no melhor estilo Country moderninho!

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Taylor Swift - Fearless


Eu sou um consumidor frenético de nomes que as pessoas mal conhecem. Falou um nome estranho de uma cidade do Cazaquistão que tem um som legal, eu já procuro pra conhecer. Isso vale para estilo batidos, também, como o sempre romântico Country americano (nada parecido com o brasileiríssimo Sertanejo).

Sou fã, desde 1998, de Edwin McCain e, quem me conhece pessoalmente, sabe que ele embalou meu Reveillon em Paris esse ano.

Assistindo Ellen DeGeneres ontem pelo youtube (no Brasil, os episódios chegam com atraso), conheci Taylor Swift, uma garota de 18 anos, dona de uma voz poderosíssima, que faz a linha Avril Lavigne da Country Music (compõe, toca, canta etc).

Ex-namorada de um dos The Jonas Brothers (os mais novos abençoados Disney, no filme Camp Rock), ela deixou BEM claro que sabe o que quer... e não brinquem com seu coração.

Indagada por Ellen sobre o fim de sua relação, ela disse, para quem quisesse ouvir, que ela encontraria uma pessoa muito boa. E que, no futuro, nem lembraria daquela pessoa que terminou tudo com ela por telefone em 25 segundos, quando ela tinha apenas 18 anos.

A platéia foi abaixo e Ellen, boquiaberta, ficou sem fala.

A guria tem atitude!!! Imaginei que era escorpiniana, mas pelo IMDB (Internet Movie DataBase), ela é de 13 de Dezembro, uma sagitariana! (you go girl!!)

Seu novo álbum, Fearless, foi lançado 11 de Novembro, durante o programa da Ellen e, garanto, está delicioso, pra quem gosta do estilo.

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Olhos de Sangue: No Metro


Já era noite há algumas horas. Chander havia saido da aula de natação havia pouco tempo e rumava para casa. Estava, como sempre, de bermudão, camisa larga e chinelos, andando desapercebido do tempo, olhando as pessoas, observando os carros e ouvindo suas músicas.

Decidiu parar um pouco, antes de entrar na estação do metrô para observar o  movimento de pessoas na rua. No baile, dançado ao som de buzinas e motores. Pessoas falavam dos mais variados assuntos e ele ouvia apenas pequenos trechos, tentando imaginar de onde e para onde aquelas conversas iriam.

Se pegou observando um grupo de rapazes que atravessavam a rua e, quando mais estava desligado, um deles o olhou e comentou com o outro: "Como estava cheio de VIADO lá, não?" E saiu gargalhando, junto com os outros.

Chander virou-se, tentando controlar sua raiva. Tentando manter um pingo de razão. Seu corpo permaneceu inalterado, mas sua mente já fervilhava com emoções conflitantes. Não sabia se tinha raiva de si mesmo, por ter sido descoberto entre todas aquelas pessoas, ou daquele infame, que havia cupido em sua cara uma palavra que sempre lhe soava como xingamento.

Começou a andar, observando os rapazes que riam e desciam as escadas rolantes. Seu ódio aprofundou-se tanto e, assim, desejou que o infame caisse. Desejou com tanta força que ele se desequilibrou e caiu. Escada abaixo, rolando feito fruta podre em final de feira.

Seus amigos estavam em choque, sem saber o que fazer, enquanto a fétida criatura jazia imóvel no chão. 

Chander se aproximava, aos poucos, no ritmo lento da escada rolante, observando tudo com um pouco de satisfação. Chegou a esboçar um sorriso melancólico. Os amigos do famigerado ainda em choque cobriam as próprias bocas e andavam de um lado para o outro, sem nexo, sem noção.

Chander aproximou-se um pouco mais e abaixou-se. Percebeu que do fruto podre, ainda de bruços, não saía sangue e que ele estava desacordado. Segurou sua nuca e gritou para um dos amigos "Chamem o resgate, ele está vivo".

Minutos depois, já com o colar cervical colocado, o pútrido acordou. Chander estava ao seu lado. Os socorristas faziam todos os procedimentos e sabiam que sua ajuda havia sido essencial. Havia imobilizado o pescoço que o famigerado havia quebrado na queda. Sem sua ajuda, o mesmo rapaz que o havia intimidado com palavras e ações haveria morrido. Chander apenas esperava que ele abrisse os olhos levemente para sussurrar, sem pressa: "Calma. Está tudo bem. Mas você agora vai viver com a lembrança eterna de que foi um VIADO que salvou sua vida".

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Revelação


NUNCA escove os dentes enquanto lê Calvin & Haroldo. Pode ser prejudicial...


...para o livro

domingo, 9 de novembro de 2008

Kylie X 2008


CHEGUEI!!! E estou em êxtase. O show foi INCRÍVEL. Kylie Minogue estava linda, o som estava perfeitamente equalizado, o público era educado (desconsiderando as latas, garrafas e sacos plásticos que o povo deixou na entrada do Credicard Hall). Só fiquei PUTO porque, da altura dos meus 1m70, fiquei a ver braços com câmeras ao invés do show, já que o palco do CH tem 1m50 de altura. Mas relevei isso logo em seguida e me pus a dançar e ver algumas coisas pelo telão.

De vez em quando, eu começava a pular loucamente e via a Tia K no palco. Mas minhas panturrilhas não agüentariam os 120 minutos de show "pererecando". Vapes teimou em tentar chegar um pouco mais perto do palco, mas consegui se posicionar apenas uns 5m à frente. Depois que o show havia começado, consegui chegar perto dele.

Ficamos tentando ver as mudanças que ocorreram nas performances da Tia K, depois do roubo no hotel, na Colômbia, e da perda das bagagens pela Cia Aérea, na Venezuela (as malas foram para Valencia, ao invés de parar em Caracas). Muitos dos figurinos foram roubados e a "aranha roxa" nem apareceu!

Acho que, por causa da estrutura do CH, ela também não apareceu apoteótica, numa teia gigante do fundo do palco. Nem cantou um set inteiro que havia na programação e que ela já havia feito no tour da Europa.

Mesmo assim, estar alí, no meio do povo gritando as letras das músicas (em show, ninguém canta, ne?) e, principalmente, ver Vapes se divertindo MILHÕES, mesmo no calor dos infernos que estava na noite já valeu a pena!!!

Depois eu compro o DVD do show em Londres (sai dia 01 de Dezembro) e vejo TODO o show a menudo. Por enquanto, fico com algumas lembranças MUITO BOAS do show e das Cias: Vapes, doidão com as músicas e interagindo com pessoas que ele NEM CONHECIA; Airborne, por compartilhar do humor irônico e do maravilhoso bom humor; e Bomberbinis, porque ele não queria estar no meio de todo mundo, nem do calor, mas não reclamou e se divertiu igual.

Pérolas da Noite:
(1) antes do Encore (bis)
Airborne: Ela não vai voltar.
O Menino que Voa: calma, a tia tá descansando e tomando uma água. Ja tá velhinha, né?
Alguém que eu não conheço: ...e escapou de um câncer.
TODOS: [risos macabros]
O Menino que Voa: maldade... você foi muito mal
TODOS: mais risos

(2) ainda antes do Encore
Airborne: Será que ela só vai cantar mais uma?
O Menino que Voa: [vira-se pro telão e faz cara de bebê chorão] aaah tia!!! Canta mais ONZE? Brigadu! 

(3) No final, pedaços picados de papel alumínio dourado voavam por todo o CH
O Menino que Voa: socorro!!! Mataram as bichas q estavam lá na frente e estão jogando os restos mortais em nós!!!

(4) No carro, indo embora
O Menino que Voa: tem um pedaço de papel alúminio nas suas costas. Que nojo!
Airborne: tira isso daqui! tira isso daqui! tira isso daqui! [referindo-se aos "restos mortais"]

A TEMPO
A gente até pensou em ir pra Buenos Aires pra ver mais uma vez o show, dessa vez em camarote VIP. Mas a grana está curta. Não vai dar! Que pena... mas eu compro MESMO o DVD e faço sessão especial "sing along" e "dance along" aqui em casa. Alías... o Airborne tem o DVD do tour Showgirl e a gente Já pode fazer isso!

sábado, 8 de novembro de 2008

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Finais (in)Felizes dos Desenhos Animados (parte 01)


Vou começar uma série aqui, contando o que aconteceu depois de todos os "perrengues" que nossos personagens prediletos das histórias em quadrinhos e desenhos animados passaram. Antes de jogarem pedra, o objetivo aqui é SIMPLESMENTE divertir e exercer a capacidade criativa. Se tiverem sugestões, por favor MANDEM.

He-Man
A Feiticeira é morta pelo Esqueleto, quando Zoar (sua forma de águia) é acertada por um raio que sai do cajado dele. Nesse momento, Tee-La lembra-se de todo o seu passado e, para vingar a mãe, assume o manto de Guardiã do Castelo de Grayskull.

Duncan (Mentor), pai adotivo de Tee-La, se assume gay e passa a viver com Randor, rei de Etérnia, pai do Príncipe Adam.

Marlena - rainha de Etérnia, ex-astronauta terráquea - decepcionada com o marido, volta para o planeta Terra e faz sucesso como "costume designer" em Holywood.

Gorpo e Drieli resolvem, finalmente, se casar e adotam Yukas. Gorpo recuper seu amuleto mágico e se torna um poderoso feiticeiro, conselheiro dos reis Randor & Duncan.

Toda a ferocidade do Gato Guerreiro é substituída por um amor incondicional a Panthor, ex-aliado do Esqueleto, que cansado de ser mal tratado pelo caveira, resolve assumir que é fêmea e vivem felizes para sempre.

Tee-La se declara para He-Man, que resolve mostrar quem realmente é (Adam). O tiro sai pela culatra, pois Tee-La se irrita com o segredo de Adam e o bane do castelo.

He-Man, então, resolve casar-se com Frosta, amiga da sua irmã She-Ra, de Etéria. Mas antes, resolve acabar de vez com o Esqueleto, desmontando-o em 235 pedaços diferentes. Lacra cada um dos pedaços em caixas de Eternium e as joga no fosso sem fim do castelo de Grayskull.

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Meme


Eu passei pelo blog do Thiago Gagante e ele me tatuou com um MEME. Eu nem sou muito de responder essas coisas. Sou conhecido como "a pessoa que quebra correntes", mas resolvi entrar na brincadeira. Mas mudei as regras... não vou passar, nem dar créditos e, quem quiser, copia e põe no próprio blog. (risos modelo Cruella Cruel!!!)

Meme:
1 - A última pessoa com quem falou hoje
Vapes

2 - A última coisa que falou
"Você é doente! (risos!!!!)"

3 - O último pensamento
"O Thiago me paga, mas vou fazer mesmo assim!"

4 - A última pessoa com quem brigou
Vapes

5 - A última pessoa que se reconciliou
Vapes

6 - A última pessoa que falou de Deus pra você
Sheila, uma amiga da  faculdade, hoje de manhã por MSN

7 - O último lugar que você gostaria de estar
No calor africano

8 - O último filme que assistiu
Gremlins

9 - O último livro que leu ou que está lendo
Calvin & Haroldo (Estranhos Seres de Outro Planeta)

10 - O último presente que ganhou
A coleção completa do 007, com os 21 filmes

11 - A última coisa que gostaria de estar fazendo
Trabalhando atrás de uma mesa de um escritório qualquer, com mil pendências e telefonemas para retornar

12 - O ultimo telefonema feito ou atendido no seu celular ou telefone
Para  Vapes, para saber o que íamos almoçar

13 - O último conselho que deu e pra quem deu
Pro Thiago Gagante, para curtir o luto, pois luto é transformação.

14 - A última vez que chorou e por que
Ontem a noite, lendo o post da Leticia sobre nossa amizade e sua homenagem a mim

15 - O que faria hoje se fosse seu último dia de vida?
Nao sei. MESMO! Eu vivo cada momento, curtindo o que posso. Se eu morresse hoje, morreria feliz.

16 - Você tem uma mania?
Sim, quebrar correntes!

terça-feira, 4 de novembro de 2008

Primeiro Post


Esse é o Primeiro Post do resto da minha vida.

Que trágico, né? Mas na verdade, é a primeira vez que eu vou escrever alguma coisa depois do meu aniversário.

Não que eu vá escrever alguma coisa de interessante... é apenas uma forma de expressão.

Mas dizer que meu blog é uma expressão dos meus pensamentos mais loucos e viagens aos fantásticos mundos de Bobby seria redundância, pleonasmo, tautologia.

Eu acho que estou é com preguiça de escrever.

ENFIM..... vou ler Calvin & Haroldo e ver Heroes... depois eu viajo mais aqui.

sábado, 1 de novembro de 2008

Ontem à Noite eu...


...sai com uns amigos e me joguei na Bubu! Estivemos, antes, no aniversário de 53 anos de uma pessoa maravilhosamente transloucada e divertida, com uma energia fenomenal e contagiante. Preciso tirar o chapéu pra Neusa, uma mulher dinâmica que inspira qualquer um que a conheça.

Depois, mesmo com a chuva, me joguei na Boo-Boo! Um dos meus amiguinhos (Jeci) resolveu não ir. Mesmo sentindo falta, decidimos ir os 05 restantes do grupo. Afinal, apenas eu e Vapes moramos em Sampa e não achamos digno (viu Airborne? - risos) deixar de ir, mesmo destruídos de nossa ida ao Hopi Hari anteontem (aliás... deepcionante. Mas eu comento depois).

Parece que, quando chove, as bichas ficam todas com medo de derreter. Já eram, exatamente, 01 da manhã, quando entrei na casa. A pista de baixo havia acabado de abrir e, mesmo assim, a pista de cima estava transitável. Sim... poderíamos andar tranquilamente pelas pistas, sem ter que empurrar demais as pessoas. Estavam ambas cheias, mas não SOCADAS de gente, como de costume. Deveria chover sempre na sexta-feira a noite (ahahaha).

Ao longe, uma pessoa desconhecida pessoalmente embalava-se na música alucinante. Reconheci, pelas fotos, nosso colega blogueiro Paulo, do "Enquanto isso, num cantinho escuro na minha cabeça...".  Havíamos nos falado mais cedo e sabíamos que nos encontraríamos. E foi legal conhecer pessoalmente alguém que divide pensamentos conosco na arte de blogar.

Paulo, aqui fica o "muito prazer" registrado (eh eh eh eh). Ele ainda conheceu, de quebra,  Vapes, que estava dançando comigo.

A propósito, eu fico meio louco com a música e posso tê-lo visto mais algumas vezes, mas fico tão dentro do meu fantástico mundinho de Bobby que posso não ter falado com ele por não tê-lo enxergado de fato. Coisas das minhas múltiplas personalidades.

Enfim... saímos BEM CEDO (03h da manhã) pois a gente ia virar abóbora: o estacionamento iria fechar e eu "usei" como desculpa para não virar a noite.

Em tempo, recomento visitar  blog de um dos meus amigos de Salvador que estavam na Bubu comigo: Olavo, do Olavianos.  Eu iria recomendar o "Ten O'Clock Tea", mas o cara não posta há DOIS ANOS! Não merece menção honrosa, né? (ah ah ah ah ah)

[off topic] Meu niver tá chegandoooooo! É amanhã!!! É amanhã!!! É amanhã!!! É amanhã!!! 

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Bombini a Hopi Hari


É hoje que eu faço 5 anos de idade de novo... retrocesso no tempo e me jogo no parque de diversões temático aqui perto da Paulicéia! Juntamos 09 pessoas pra se divertir, incluindo 02 amigos que vieram de Salvador e 01 de Recife exclusivamente para as comemorações do meu aniversário.

Já estou de pé. Vapes no banho. Jeci ainda dorme. Kisali e Cisner chegam daqui da pouco, junto com Naildse e Bon. Enive e PH estão vindo do hotel.

Marcado para as 09h, o encontro deve acontecer aqui perto de casa e, daí, iremos todos para as filas imensas dos brinquedos.... (risos!).

Pelas previsoes, teremos chuva. Vou levar meus guarda-chuvas. Mesmo que não chova, serão úteis para me proteger do sol escaldante nas filas. Protetor solar e garrafinha de água são ítens indispensáveis tb numa maratona como essa.

Com o meu aniversário chegando (domingo!!!), darei HOJE o início oficial das comemorações.

terça-feira, 28 de outubro de 2008

Zec Afron


Estava no metrô esses dias e não pude deixar de ouvir um casal conversando. Primeiro, porque eles estavam falando muito alto. Depois, porque o braço da baranga estava amassando meu cabelo tão perfeita e cuidadosamente arrumando pro trabalho.

Homem: Você viu que vão fazer uma estátua de cera daquele menino de Raiscú Míusico?
Mulher: Zec Afron? (????)
H: isso mesmo. Dele e daquela menina, Uanessa! (???)
M: o nome dela não é Vanessa? (ufa!)
H: é? não sei. Só sei que vão por lá naquele museu da Dona Trussô (aaaahn?)

Meus balõezinhos que ficaram DOIDOS pra sair pela boca:
  1. É Zac Efron, anta!!! Zec Afron é você, energúmeno!
  2. Se escreve com V, se FALA com V. Vanessa é Vanessa! Aqui, lá, onde você quiser!!!!
  3. "Dona Trussô"? Fala séééééério. Madame Tusseauds. Momento DENOREX. Parece, MAS NÃO É a mesma coisa!
Em tempo: energúmeno, no gosto popular, simboliza uma pessoa atrapalhada, desastrada, do tipo que não consegue fazer nada direito. (fonte: Wikipédia)

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

"Isso É Uma Perca de Tempo"


CALMA! CALMA! CALMA! CALMA! CALMA!

Eu não assassinei o Português! Se você reparar, a frase título está entre ASPAS. Ou seja, é uma citação da personagem Felina, na dublagem de "O Segredo da Espada Mágica". Esse filme foi lançado nos cinemas no Brasil, no auge da carreira dos heróis de Etérnia e Etéria e, com as maravilhosas vozes dos nossos dubladores. Mas alguma coisa aconteceu no meio do caminho e esse erro CRASSO de Português aparece em alto e bom som no DVD lançado ano passado pela Focus Filmes.

Eu parei e voltei umas 05 vezes para me certificar que ouvi realmente "perca" ao invés de "perda", forma gramaticalmente correta. Essa adaga no peito da língua portuguesa ocorre na primeira batalha do filme. Felina dispara esse BLERGH logo antes de ser contra-atacada pelo He-Man, já em Etéria.

Mas porque estou falando disso?

Porque eu adquiri, recentemente, os ultimos 26 episódios de um remake da série, chamado He-Man and the Masters of the Universe 2002. Nessa ultima coleção de animação, podemos ver um Adam que realmente aparenta ter 16 anos, uma Tee-La muito mais valente e lutadora, um Esqueleto mais malvado e sacana e, pela sinopse da ultima temporada, um Hordak mais feio e traiçoeiro. Tô louco pra ver, mesmo sabendo que vou me frustrar por não ter a She-Ra nesses últimos momentos da série. Não entendo o porque de terem trazido Hordak de novo, sem trazer a irmã do He-Man.

Enquanto isso, na Sala de Justiça

Serginho, Paulo, Goiano, Râzi, Airbourne, Juju, Marcos, Sidney, A.L.E. e Thiago: obrigadasso pelas palavras de conforto. MESMO! Esses dias eu estava com o Paulo e o Serginho no MSN e eles reiteraram seus comments "ao vivo". Vocês devem ter idéia de como é bom desabafar, escrever, expurgar, por pra fora e receber carinho e palavras amigas em retorno. MUITO OBRIGADO MESMO. Beijão para cada um de vocês.

No som, FLUKE entoa Another Kind of Blues, que muitos conhecem na trilha sonora de Matrix Reloaded.
Ta TV, nada me espera porque a NET Vírtua limitou as conexões P2P e eu não consigo baixar mais nada em torrent, CARALEO!!!!

terça-feira, 21 de outubro de 2008

Por Baixo do Sorriso


As vezes eh bem dificl conviver com coisas que falam sobre a gente. Hoje, estava conversando com minha supervisora/instrutora e ela me elogiou. Disse que eu tenho muito a crescer em minha nova funcao. Contudo, ela disse que existem pessoas que tem opinioes diferentes sobre mim.

Alguns disseram para ela que acham estranho uma pessoa que sorri demais e isso indicaria, apenas, que eu seria uma pessoa falsa e nao confiavel. Fiquei meio triste com isso. Desde o inicio do meu trabalho, ha quase 08 anos, eu prezo por uma boa relacao com meus colegas, supervisores e gerentes; ouvir isso foi como um balde de agua fria jogado na minha cabeca numa madrugada gelada de Sao Paulo.

Fico revoltado ao saber que muitas pessoas me julgam sem ao menos ter tido o minimo contato comigo. Fico magoado em saber que essas pessoas nao querem saber como eu sou... apenas falam de mim pelas costas para outras pessoas que nao me conhecem e, assim, vira essa bola de neve ridicula com meu nome.

Por outro lado, pessoas que ja trabalharam comigo, muitas vezes me recebem muito bem e perguntam quando vamos estar juntos em outra ocasiao, o que me leva a acreditar que, em algum momento, sou querido. Pessoas que me recebem com sorrisos e abracos que eu quero acreditar que sejam sinceros, apesar de saber que, nesse mundo enorme de meu Deus, a mao que te apunhala vem do braco que te abraca. Mas mesmo assim eu quero acreditar que esses elogios, sorrisos, beijos e abracos sejam reais, sinceros e amistosos.

O que me bate no cerebro eh o porque de minha postura gerar esse tipo de comportamento nas pessoas, sendo que, como eu falei antes, pratiquei e pratico a politica da boa vizinhanca. Eu so nao tenho papas na lingua e, ao ver algo errado, eu falo. Imagino que possam ser os egos feridos desses MAUS PROFISSIONAIS que acabam desmanchando meu trabalho e zelo por uma boa imagem.

E, sem falsas modestias, eu sei que sou um otimo profissional, porque meus clientes me dizem isso. Receber um obrigado com um belo sorriso eh muito satisfatorio. Muito mais: eh o reconhecimento de um trabalho realizado com amor, dedicacao e, principalmente, profissionalismo.

Nao quero e nao vou abaixar a cabeca para esses projetos de pessoas que querem me derrubar pelo simples fato que eu sou feliz. Nao vou me culpar pelos erros dos outros; ja me bastam os meus, que eu assumo com a mesma humildade e dignidade que assumo meus acertos.

Mas eh dificil nao se abalar com essas historias... BEM DIFICIL.

No iPod: Deja Vu, do Enigma, ajuda a me acalmar.

domingo, 19 de outubro de 2008

Vintage


Desde que eu vi Gremlins, eu me prometi que, se um dia eu encontrasse um Gizmo que reproduzisse aquela musiquinha que ele canta à noite, quando está feliz, eu compraria pra mim. ACHEI!!!! Numa loja vintage chamada The Cult Entertainent Megastore (clique aqui pra ver a loja). Mas pagar £25,00 (Vinte e Cinco Libras) num bonequinho não me pareceu apetitoso, com a Libra a R$3,65 (Três Reais e Sessenta de Cinco Centavos). Decidi que não levaria, mas fiquei igualmente LOUCO com um andar INTEIRO de quadrinhos dos mais variados tipos. TODAS as Graphic Novels que se pudesse imaginar estavam ali. Arquivos DC como Aquaman, The Teen Titans dos anos 60 e 70, sagas completas e muita coisa animê.

Uma coisa me chamou a atenção: uma lixeira no formato do R2D2 de Star Wars. Pasme... por meras £150 (cerca de R$548). Será MESMO que tem gente que paga isso? Devem ser esses colecionadores loucos, mas eu ainda tenho pé no chão e contas a pagar. Não compraria, mas admito que tive vontade.

Para os amigos que curtem Marvel (Paulo, essa é pra você eh eh eh eh), haviam réplicas do martelo de Thor, da arma do Justiceiro e do bracelete que o Aranha usa com o fluido de teia. Para os fãs DC Comics (esse sou eu mesmo), bustos do "tamanho real" da tríade Super-Homem, Batman e Mulher-Maravilha, bonecos em resina do ultimo filme do Batman com as surpreendentes expressões do Heath Ledger e Aaron Eckhart (o Duas-Caras), além de incontáveis outras memorabílias que encantarias ambos os fãs.

Um nota: além da minha amiga Mônica, havia apenas mais UMA mulher na loja. Na sua esmagadora maioria, o publico era formado por homens, na faixa entre 25 e 40 anos. Foi ela quem me chamou a atenção disso e me fez refletir sobre essa razão. Segundo ela, estar na loja significava ter tidouma infância feliz. Que eles não sentiam medo, respulsa ou vontade de voltar à infância, mas através de todos aqueles quadrinhos e personagens, continuar de uma forma saudável, hábitos que surgiram quando eram crianças. E eu concordei....

Aí, a gente foi comer no Pasta Hut e eu NÃO comprei meu Gizmo cantor.

EM TEMPO
O Enigma acabou de lançar seu mais novo álbum "Seven Lives, Many Faces" que eu já pus no iPod e estou me deliciando com suas musicas loucas, new wave e  prontas para uma boa trepada!!!

No Som: The Same Parents, de Enigma
Na TV: Mulheres Perfeitas, com Nicole Kidman, me espera

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Fran's, O Terror dos Cafés


Eu posto em horários loucos, né? Mas é assim mesmo.... São quase 3h da manhã!!!

Hoje é (in)utilidade pública. Fui com Vapes ontem, no Fran's Café da esquina da r. Carlos Sampaio com Av. Paulista. Como gostamos dos produtos do Fran's, tentamos, mais uma vez, outra franquia, para ver se conseguiríamos um bom atendimento.

Vã tentativa!!!

O Fran's Café deve ter uma espécie de treinamento às avessas para ver se contém o crescimento de seu público. Incrivelmente, cada um dos Fran's que a gente TENTA ir, somos cada vez mais mal atendidos. 

Ficamos esperando horrores. Nossas sodas italianas vieram com pouco gelo e, ao pedir mais gelo, fui graciosamente informado que "só tinha esse aí". Estava um calor INFERNAL dentro da loja. E o padrão de atendimento NÃO EXISTIA!!!

O campeão é o da Haddock Lobo. É impossível você ir lá e não se irritar. Uma vez, passamos mais de 20 minutos esperando uma c@r@lh@ de uma garçonete para nos atender. Ao invés de reclamar, eu fui, gentilmente, até o caixa e indaguei o motivo da demora. Fui recebido com uma cara amarrada que, sem cerimônia, me disse: "o senhor tem que aguardar que estamos fechando o caixa".

Pisou no meu calo, bradei (com um tom de voz agressivamente mais alto): "não tenho messsssmo (com ênfase no 'sssssss'). Se vocês não sabem trabalhar, o problema é de vocês". O gerente veio nos atender, 60 segundos depois.

O Fran's da FNAC Paulista ainda se salvava, mas da última vez que estivemos lá, além do TRADICIONAL péssimo atendimento, os produtos ainda estavam com aparência e gosto esquisitos. Não voltamos mais.

Tenho que sugerir, APENAS, o Fran's Vila Mariana, na esquina da Cubatão com a Azevedo Macedo. É o único que (ainda) possui um padrão aceitável de atendimento. Mesmo assim, se for seguir o padrão Fran's de ser, daqui a bem pouco tempo vamos abandonar essa loja também!

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Os Ossos do Ofício

Nossa... quanto tempo sem escrever! O povo vai esquecer que eu existo, mas são os Ossos do Ofício.

"- Menino, voa pra lá"
"- Menino, voa pra cá"
"- Menino, fica aí um pouco"

E assim, comandam a minha vida... mas teve algumas coisas boas. Comprei The Batman (5a. temporada), Teen Titans (5a. temporada) e He-Man 2002, volume 2, com mais 13 episódios. Ainda não vou assistir, porque estou começando a 5a. de Jack Bauer.

A propósito, eu não achei nenhuma explicação interessante na internet sobre a expressão "Ossos do Ofício". Fiquei indignado!

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

A Lagosta Randômica


Pois não é que meu último post eu ia falar da tal lagosta e acabou que eu falei de vegetarianos e carnívoros. Pior... parece que o título assustou algumas pessoas, que nem sequer leram o post inteiro. (risos macabros, iguais ao título do post anterior).

No mesmo dia, no meio do papo sobre comer ou não carne, estávamos falando dos maus tratos com animais. A Júlia, do BOA DE GARFO, saiu com uma das pérolas do dia: "eu prefiro uma lagosta randômica".

Na minha perturbada mente "fantástico mundo de Bobby", surgiu uma gigantesca exclamação, digna de ser roubada pelo Charada (inimigo do Batman), quando ela nos contemplou com a explicação: "eu não tenho coragem de chegar naquele aquário e apontar pro bicho vivo dizendo 'quero essa'. Adoro lagosta, mas prefiro que alguém escolha e ela, simplesmente, chega no meu prato. Como mágica".

A-DO-REI (com divisão silábica e tudo!). A partir de hoje, só como Lagosta Randômica.

Dica dO Menino
Pode clicar! Para amantes ou entusiastas da gastronomia, a Júlia nos presenteia com a receita que embalou nosso paladar nesse domingo. Além da receita e modo de preparo com dicas para uma melhor realização do prato, ela ainda dá um pequeno roteiro para os aventureiros de plantão que querem, segundo ela mesma, saborear uma boa comida.

P.S.: estou falando da Júlia com seu verdadeiro nome, pois ela assina seu blog e trabalha com isso. Desta forma, não achei necessária a preservação de sua identidade secreta, como nos outros personagens mencionados em posts anteriores.

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Cadaverina e Putrecina

Lá estava eu num almoço entre amigos e parentes de uma amiga minha da Terrinha do Axé. Pessoas que eu não conhecia até então, mas que me receberam alegre, educada e simplesmente. Papos triviais, agradabilíssimos, embalados por Diana Krall em seu apaixonante piano, quando o assunto chegou: "não comemos carne vermelha".

Apesar de ser cada vez mais natural, eu ainda não me acostumei com a idéia de pessoas que não comem carne. Algumas simplesmente abriram mão da carne por achar ser esta uma dieta mais saudável. É o caso desse casal que acabei de conhecer. Ambos da área de comunicação, entusiastas da gastronomia, deixaram de comer carne após terem a informação de males que a carne pode vir a lhes causar. Nesse caso, os admirei ainda mais. São pessoas que basearam sua decisão em algum tipo de pesquisa e não são, simplesmente, "vegetarianos políticos".

Esses são os que me irritam. São aqueles discursantes sobre a crueldade no tratamento dos animais. Que não comem a carne porque o boi supostamente foi maltratado e submetido a níveis extraordinários de stress, antes de ter sua garganta degolada por facas afiadíssimas e sangrar até a morte.

Uma das vezes que cruzei com um desses chatonildos de plantão, ele veio me falar que a carne bovina, a partir do momento que é morta, gera substâncias chamadas putrecina e cadaverina. Essas substâncias são responsáveis pelo apodrecimento da carne e "podem" ser preudiciais para o organismo humano. Atenção para o verbo PODER, ou invés da utilização do verbo SER. Minha bisavó morreu, em 1991, com 102 anos de idade. Comeu carne sua vida INTEIRA e eu lembro, ainda, que mesmo sem dentes, ela adorava comer carne com farinha, lá no interior de Sergipe. Em outras palavras, eu vou, SIM, continuar comendo carne.

Claro que, sendo escorpianino nato, não perdi a oportunidade de dizer que a partir daquele momento eu iria, apenas, comer carne maturada. Que eu não sabia que era assim. Claro que estava exagerando, mas o prazer de ver a cara de horror e nojo dele foi melhor que uma bela picanha argentina ao ponto. Nossa... deu fome!

No som: Star, de Kylie Minogue
Na TV: quarto episódio da primeira temporada de True Blood me espera

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

Guerra ao Comércio Informal

Tenho raiva de tentar andar nas calçadas da cidade e ter que bater de ombros com os outros transeuntes porque os, ditos, membros do comércio informal tomam todo o espaço a nós, pedestres, destinados.

Não tenho nada contra eles. Na verdade os apóio contra as taxas abusivas que o governo acaba cobrando dos "empresários" do comércio tradicional. Não sei de quanto, nem quero saber, mas chega aos meus ouvidos, através de conhecidos (ex-)gerentes de negócios próprios, que os impostos cobrados são absurdos. Claro que existe toda uma vertente a respeito de "qual lado da cadeira" você está.

Para o empregador, todos os encargos sociais. Para o empregado, o baixo salário, mas com garantias que o empregador é obrigado a dar. E, assim, cria-se uma bola de neve.

Perdi o foco.... então.... me irrita ter que dividir a calçada com os camelôs.

Outro dia há muito tempo atrás (tipo... século passado), um amigo (Bsule) e eu chegamos à conclusão de que a classe social é inversamente proporcional à distância que se anda do calçamento (calçada, guia, meio-fio, chame do que quiser - seja PLURI!).

Acontece que isso se dá, apenas, quando se existe possibilidade real de andar numa boa, sem trombar com as pessoas.

Na minha realidade atual, prefiro andar pelo cantinho da pista, aumentando meu risco (claro!), do que me irritar com o ínfimo espaço ao qual sou confinado por vendedores de suco de laranja, bolinhos de milho, queijo, goiabada, guarda-chuvas, engraxates, vendedores de CD, DVD, jogos de PS, PSP, PS2 e o (@r@1h0 a quatro. 

Ainda mais quando estou com mala e cuia. Ando eu ou a mala. Mas precisamos estar juntos. O que fazer, eu me pergunto? Às vezes dá vontade de "flippar" e começar a gritar, espumar pela boca e me jogar numa dessas bancas gritando "eu quero tudoooo, eu quero tudooo, me dá tudooo". E fazer isso todos os dias com a mesma banca até ela se mudar. Daí, eu passo meu foco pra OUTRA banca. Posso não ganhar mais espaço, afinal sai um, aparecem três mil. Mas pelo menos eu não enlouqueço de vontade de fazer isso. Ai meu superego!

E viva a liberdade, né?

No som: David Guetta canta Joan of Arc (ft Thailand).
Na TV: me espera os 02 últimos episódios de 24h, 5a. temporada.

terça-feira, 30 de setembro de 2008

Previously, on O Menino que Voa...


Oi pessoas! Meu post passado rendeu um pouco, ne? Mas eu vou deixar esse assunto pra lá. Como muitos disseram, isso rende pano pra manga. É melhor deixar quieto.

Gostaria, mais uma vez, de me desculpar se alguém se sentiu ofendido pelo escrito. Não quis criticar, nem fazer apologias religiosas: foi apenas um post para se divertir. Confissoesaesmo, por exemplo, levou bastante na brincadeira, que foi o real motivo de tê-lo escrito.

É claro que questionar faz parte do meu ser. Quem me conhece pessoalmente, sabe que sou questionador, além de muito intuitivo para certos assuntos. Me coloco lado a lado com Alone, nesse sentido.

Mas não chego a extremos como o Paulo, pra arrumar briga. Meu obetivo aqui é exercer a capacidade criativa (viva o Futurismo - Semana de Arte Moderna, 1922), divertir e, claro, criar polêmica, porque eu GOSTCHO (risos macabros).

Agradeço àqueles que postaram comentários, mais uma vez! Abreijos!!!

NATAÇÃO

Voltei a cair na piscina. Depois de quase 10 anos sem dar minhas braçadas, resolvi que quero deixar a natação me ajudar na minha tentativa de diminuir taxa de gordura corporal e aumentar a massa magra. Em outras palavras, entrar em forma. Já pulo, pego peso e TENTO (sem muito sucesso) comer direito. Vamos ver se no cubo d'água eu me animo um pouco mais.

sexta-feira, 26 de setembro de 2008

A Sopa Primordial


Peguei carona no post to Airborne (clique aqui pra ler, mas VOLTE!!!) sobre espiritualidade, pra justamente fazer um contraponto num papo que estava tendo com uns colegas lá na empresa, hoje mais cedo.

Antes de mais nada, LONGE de mim ser herege ou injusto e discriminatório com qualquer que seja a religião ou credo de quem ler esse post.

Peço, no entanto, que se você for se sentir ofendido com qualquer afirmação mais atroz sobre religiosidade, espiritualidade e/ou crença, pare de ler AGORA!

Bom... se você continuou, eu avisei....


Andei conversando com uns colegas sobre religiosidade e outras coisas. E me veio um questionamento: Eva foi feita de uma costela de Adão, tiveram Caim e Abel. Caim matou Abel e restaram apenas ele e Adão, com uma única mulher, Eva. De onde veio essa caralhada de gente que povoa o mundo de hoje? De uma C-Mart (Costela Mart, onde o Criador comprava costelas pra fazer gente) ou foi uma putaria generalizada, que filho comia a mãe e versa-vice?

Por outro lado, temos a teoria de evolução de Darwin (Dárvin ou Dáruin, nunca sei a pronúncia), na qual o homem veio alí do macaco e, por algum motivo, a gente tomou um caminho diferente e não ficamos mais pulando de árvore em árvore, nem catando piolho da cabeça do outro (eca!) e comendo (eca eca).

Existe ainda outra teoria mirabolante, defendida por um livro ainda mais mirabolante chamando O Livro de Uranthia, que versa sobre o homem ter sido um cruzamento de macaco com aliens. Essa é BEM louca, mas existem algun pontos a serem analisados, como por exemplo, o homem ser o ÚNICO mamífero dependente da mãe até boa parte de sua infância, enquanto outros aprendem muito rapidamente a sobreviver (andam muito cedo, aprender a caçar e comer sozinhos, entre outras caracteristicas). Como não tenho mais conhecimento sobre isso, deixarei que cada um leia (se houver vontade) e tire suas conclusões.

Voltemos a Darwin...

Existem provas CABAIS da existência de mutações nos macacos (evolução) em diversos museus ao redor mundo que ajudam na teoria do cara. Além disso, há os dinossauros, em suas mais diferentes espécies, espalhados pelo mundo inteiro, sem menção em qualquer livro dito sagrado.

Por outro lado, temos a certeza de que o mais famoso livro sagrado do mundo foi escrito em parábolas. O que nos impede diretamente de dizer que tudo o que está alí escrito aconteceu, de fato, daquela forma, jeito ou maneira.

Eu me questiono e repasso para vocês o seguinte: quem foi que disse que Ele tem a forma que temos, nós, hoje? E se Adão e sua costelinha Eva (com seus filhos Caim e Abel) fossem, simplemente, aquelas primeiras amebinhas da sopa primordial?

terça-feira, 23 de setembro de 2008

Políticos versus Meu Sossego


Todo mundo sabe que eu não sou politizado, mas sou encrequeiro. De vez em quando me aparce um ou outro candidado que resolve me tirar a paciência.

Nas eleições passadas, eles apoveitaram a recente onda de telemarketing pra ligar pra minha casa, na hora em que eu estou livre de meus afazeres, de cueca, vendo minhas séries prediletas no DVD pra me "lembrar" que são candidatos. Como se isso fosse necessário. D. Marta "Suplício" já me ligou esse ano e ganhou um grito.

Claro que esse grito não foi ouvido por ela. Porque a chamada era gravada, mas haja paciência.

Nas eleições passadas, cheguei do trabalho as 06h da manhã e, às 08h, um tal de Celso Russomano resolve interromper meu segrado sono. Não sei se foi por causa do choque ou porque ainda estava dormindo (apesar da raiva), mas ouvi toda a mensagem. No final, um telefone pra contato com o comitê do candidato. Não pensei duas vezes. Deixei toda aquela fúria que estava contida sair e a descarreguei aos berros e palavrões na primeira atendente.

Coitada. Confusa, ela tentava dizer que não era com ela e eu, tentando ser menos grosseiro, pedi para falar com o responsável pelo comitê.

Uma pessoa X atendeu e se apresentou como tal e eu recomecei os berros. Urrava e, entre um grito e outro, perguntava se ele estava me ouvindo (assim, eu saberia se ele havia desligado ou me colocado em espera). E ele ouviu todas as reclamações direitinho.

Disse, também, que a ligação estava sendo gravada desde o princípio (eu amo essas secretárias eletrônicas) e que se ele não retirasse imediatamente o meu número daquela desgraçada daquela mailing list, eu ia mandar a gravação pro STF porque eu estava me sentindo acuado em minha própria residência.

As ligações pararam.

Outra coisa me irrita são esses carros de som. Mal equalizados, passam nas PIORES horas. Normalmente, estamos dormindo ou assistindo algum momento crucial de algum episódio de 24h, Lost ou Heroes. Um saco. Minha vontade é encher bexigas com água e dar um curto-circuito no som. Mas eu iria prejudicar SOMENTE o dono do carro de som, não o sacana que o contratou.

domingo, 21 de setembro de 2008

Pelos Poderes de Grayskull


Grandes ídolos da minha infância, He-Man e She-Ra finalmente saíram em DVD no Brasil há uns dois anos. Saíram tarde: eu já havia trazido de minhas viagens, todos os 7 boxes com todos os episódios dos defensores de Grayskull. Mas não havia a identificação dos personagens com as vozes que eu já conhecia desde tenra idade.

As vozes originais são muito diferentes. Adam era muito mais maduro e He-Man, um ser bombado até na voz. Não que deixasse de ser na versão tupiniquim, mas no original era muito mais.

Adora tinha voz de velhinha. Aquela que anda com guarda-chuva em dia de sol, com medo de cair o maior temporal e ser pega desprevenida. Ela, nos créditos iniciais, até dá uma parada na apresentação do personagem para... lembrar o nome (creia!).

She-ra era uma voz sem referência pra mim. Uma pessoa qualquer, provavelmente lésbica, fazia a voz da mulher que usava super-mini-saia, montava num unicórnio de asas multicoloridas e dava aqueles chutes pra derrubar paredes, sem nunca mostrar a maldita calcinha (se é que ela usava uma). Eu mesmo já gravei um episódio no video-cassete e passei a cena do chute quadro-a-quadro pra ver a calcinha da FDP, mas nunca consegui. Ela, mesmo quadro-a-quadro, era muito mais rápida que eu.

Aí, um amigo resolve aparecer diante de mim com os 3 primeiros discos do box nacional do He-Man. É claro que eu ripei. É delicioso ver  o desenho com as vozes que eu estava acostumado. Podem achar que eu sou idiota, eu nao ligo, mas me arrepia até hoje a cena que Adora grita "Pela Honra de Grayskull" pela primeira vez em O Segredo da Espada Mágica.

E ontem, ouvindo o Nerdcast, descobri que o Garcia Junior, dono da voz que deu vida a Adam e He-Man por estas bandas, ainda permeou outros personagens maravilhosos da minha infância: Pica-Pau, Automan, Smurf Gênio, Be-Bop (das Tartarugas Ninja) e dezenas de outros personagem do Governator Schwarzenegger. Detalhe básico da história é que ele tinha apenas 17 anos quando ele fez o He-Man.

Fala que eu te Escuto
Serginho Tavares: eu já terminei tudo que tinha pra estudar, mas na mina profissão, tenho que fazer reciclagens constantes. Quanto a receber bem... nao sei. Quando a gente divide as contas dos queijos e vinhos, fica mais facil.
Goiano: Eh eh eh eh. Não sei se o maridao ia curtir muito se eu fizesse boca a boca e massagem no tórax. Eh eh eh!
Uillow: é mesmo. Ainda bem que foram apenas escoriações. Mas poderia ter sido algo pior. 
Alone: eu estava apenas fazendo reciclagem.
Renato: Opa! Seja bem vindo. Venha mais vezes, Rei!
Viadagem e a Transgressão Poética: Preciso concordar com voce. Até falamos sobre isso essa semana. Como as pessoas têm sido individualistas. E, sim, a macarronada eh HOJE.
Marcos: eh eh eh! Eu queria achar um uso pra palavra Quórum e achei a oportunidade ideal. O outro post teve quase ZERO de comments.
Binhosampa: eh eh! Estaremos todos juntos e, depois, vamos jogar Imagem & Ação. Vários casais, mas sem troca! (risos!)
Camila: Obrigadim pela visita. Volte mais vezes.
DW: ah ah ah. Eu, graças a Deus, nunca tive essa experiência.
 

quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Cotidiano? Nem Tanto!


POST PASSADO
Gente... meu post passado não deu QUÓRUM! To triste! Ah ah ah... mas passa... eu apenas queria fazer uma referência a três símbolos da minha infância, que estão do meu lado até hoje. A Mulher-Maravilha, o Super-Homem e o Batman. Ou seja, sem celeuma.

ACIDENTE
Estava tendo treinamentos em Primeiros Socorros hoje, no final da manhã, quando ocorreu, no intervalo, um acidente de moto em frente ao estabelecimento que eu estava. A moto trombou no carro da frente, que havia parado para fazer uma conversão, e a garupeira voou por cima do carro. Imediatamente, o bombeiro e os socorristas que estavam ministrando nosso curso se puseram a trabalhar. Fiquei chocado ao ver uma pessoa ali... caída, acidentada. Mas ao mesmo tempo, tive a frieza de perceber os movimentos dos meus instrutores. Cada um dos passos que haviam me ensinado estavam sendo mostrados, alí, um a um, in loco. O resgate apareceu, levou a senhora e nós retornamos à aula. Mesmo assim, fica aquela ponta de curiosidade: o que será que aconteceu depois. Mas eu perguntei a um dos bombeiros sobre o ocorrido (um dos que estavam socorrendo) e ele me disse que, pelo jeito, foram apenas escoriações. Melhor assim. Que susto!

QUEIJOS E VINHOS
À noite, acabei de receber (com Vapes) alguns amigos em casa. Foslilde Girtis, Joffosrel Pefennope, Aribon e Laildse tomamos alguns vinhos acompanhados com queijos diversos para degustar e aprender um pouco mais. Queijos parmesão holandes, estepe, camembert e provolone, damasco e amêndoas acompanharam um singelo Chalise, um bom Bourdeaux branco e um nacionalissimo Vallontano da região do Vale dos Vinhedos. Uma boa conversa, temperada com boas doses de risadas e humor inteligente rechearam nossa noite. Aliás... prometendo uma BOA macarronada no domingo! (RISOS!)

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Tríade


Que loucura....
     Uma Maravilha de Mulher,
            Um Super de um Homem,
                   e um Morcego nascido
                         das juras de uma criança...

domingo, 14 de setembro de 2008

Família e Amigos


Acabo de chegar de minha terrinha linda do coração: São Salvador da Bahia e trago, de lá, novas recordações, novas vivências de velhas amizades. Reencontrar Nopacai, Jeci, Lowpel, Enive, Ovosinde foi muito bom. Por o papo em dia. Falar de projetos e de experiências passadas.

Falando assim, parece que não mantemos contato pela Internet, mas ao VIVO, as coisas fluem com mais rapidez. Encontrar todos ao mesmo tempo faz um em danado. Os caninos parecem e viramos víboras de pensamentos rápidos, prontos para chutar qualquer bola que tenha ficado quicando. Nos divertimos com isso, traduzindo nossa alegria em risadas escandalosas.

Reecontrei Rosgae, após uns 06 ou 08 anos sem vê-lo. E foi como nunca tivéssemos perdido o contato real. 

Jantei com Nopacai em sua "nova casa", junto com seu par, Gan, e seus tios de Barreiras, interior do estado.

Fui a diversas festas de aniversário e tive, por obrigações do meu trabalho, que retornar mais cedo para a paulicéia e perder o niver da Gigi Torta de Morangos, filha de uma amiga da faculdade que completou, dia 13, 02 aninhos de idade. Uma fofa. Ela e o irmão, Rafa.

No mais, foi estar com meus pais. Arrumar meu antigo quarto, ter contato com lembranças de outras tantas épocas que passaram e que deixaram marcas, boas ou ruins, mas marcas da minha vida. Deliciosa vida passada na minha cidade e que não volta mais, porque o Menino evolui. O Menino entende que passou e que sua vida continua. O Menino sabe que sua felicidade está na loucura da Paulicéia, junto a seu par. O Menino, então, volta para viver e despedir-se de suas férias.

E aqui fica mais essa impressão desordenada dos pensamentos.

quarta-feira, 10 de setembro de 2008

Escrever: Edição de Pensamentos


As vezes não existe uma vontade preponderante de escrever. Eu apenas sento em frente ao laptop e começo a bater nas teclas e, quando vejo, alguma coisa aconteceu. Depois, vou lendo, corrigindo e me deliciando com esses pensamentos que, muitas vezes, nem parecem ser meus. Palavras, que lidas num futuro não tão distantes, nem parecem ter sido colocadas juntas por mim. Não sei dizer se os bloggers de plantão são assim também, ou se desenham seus posts antes de escrevê-los.

Assim eu funciono, algumas vezes expondo idéias. Outras, criando controvérsias. Outras mais, gerando polêmica. Em algumas, abrindo meu coração, mas escondendo-me, ao mesmo tempo, na delícia de ser apenas O Menino que Voa, sem nome, sem rosto, sem cara: escondido em meu anonimato.

Que loucura isso, né? Ou não! É expressão... e assim escrevo, me expondo, deixando o peito aberto para afagos e arranhões, tapas e beijos.

VIAJEI!

Dica dO Menino:
É um post antigo da Letícia, mas vale a pena ser lido. No mínimo, inteligente, como muitas coisas que essa minha amiga escreve. Espero que curtam!

segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Sobre a PUTA dos Dentes Separados


(post originalmente publicado em 05 de SET de 2008, mas republicado para alimentar polêmicas)

Desde quando essa joça desse show foi confirmado, existe um frissom, uma euforia, uma macacaiada e torno da compra dos ingressos, local, hora e, claro, posicao na qual se assitiria à meretriz-mor do marketing propagandista mundial. Especulações, apostas e desejos incabidos de centenas de milhares de fãs, órfãos por 15 anos da presença de sua diva em terras tupiniquins. 

Eis que Madonna Louise Veronica Ciccone ou, mais atualmente (até que se assine papéis ou não), Madonna Louise Ciccone Ritchie resolve entrar na onda do hip hop no mesmo timing que o Brasil entrou na era disco: quase na hora de acabar. Pra os mais novinhos de plantão, a era disco chegou no Brasil no final dos anos 70, quando o mundo inteiro já estava enjoado e enojado dos globos espelhados, meis soquetes e cabelos balançantes (desculpa, Juju, mas neologismos são meu estilo!). 

Enfim... a, até então, precussora de estilos mijou fora da bacia, igual ao pau que nasce torto do É o Tchan, quando ainda se chamava Gerasamba. Hip Hop já era. O álbum chegou atrasado alguns anos. Mas como é Madonna (e ouve-se atrás um coro: "oooooooh Madonna"!), a gente aceitou e resolveu escutar. Escuta-se, ouve-se, torce-se a cara e resolve-se escutar mais vezes, afinal, é Madonna (e ouve-se atrás um coro: "oooooooh Madonna!"). 

Aí entram as considerações. Álbum bom, curte-se de primeira (já já eu dou uma dica!). Esse negócio de ter que "aprender a ouvir" é pra galera "cabeça". A Sra. Richie eh CO-MER-CI-AL com separação silábica. Em outras palavras, as coisas têm (olha o acento de plural, Juju - risos) que ser digeridas assim que ouvidas. Soam os primeiros acordes e já se está em polvorosa, com calafrios, olhos e bocas abertas e uma imensa vontade incontrolável de dançar. 

OK. Superamos o trauma do "ouvir para aprender a gostar". Ela resolve sair em turnê mundial, mas aí não tem pra quem vender Sticky and Sweet e ela volta-se pra America Latina, urgente por shows de sua diva. 

E ai começa OUTRA novela: preços, locais, datas, numero de apresentações, cambistas, velhos, grávidas, filas e montes e montes de bichas loucas vendendo suas cuecas Calvin Klein que compraram em 20x no Visa pra comprar uma porra de um VIP que custa meros 600 reais, para quem tem a dignidade de não usar o golpe da carteira falsa de estudante (lembrem-se que para outras coisas existe Mastercard!). 

Cadastros na internet, horas esperando online para comprar o ingresso porque não se esperava esse contigente (????) na rede. Filas exaustivas. Tickets esgotados. Enfim... uma luta digna de fase final de adventure de PS3. 

E a pergunta: será que eu me submeto a isso? 

Resposta: NÃO. Apesar de AMAR a filha da puta que teve a pachorra de não mandar, até hoje, arrumar aqueles dentes, eu não vou desembolsar 1200 reais para ver uma formiguinha saltitando de um lado para outro no palco do Morumbi ou Maracana. Prefiro dar de entrada numa belissima TV LCD de 52" Full HD, comprar o DVD quando lançar e ver até os pelos da xereca dela quando ela sentar-se nas escadas para conversar com o publico. 

A vontade de vê-la de perto foi substituída pelo simples amor ao meu bolso e à minha dignidade. Pelo preço da montagem do palco, luzes e mais detalhes de producão, era cabível que ela fizesse muito mais que 03 apresentações em SP e 01 no Rio de Janeiro. Na minha experiência de ex-produtor executivo, isso ajudaria a DILUIR os custos de produção, baratear os ingressos e dar mais chances a um país de 182 milhões de pessoas (fonte aqui) de poder ver sua diva pop sem precisar se prostrar à mercê desses preços abusivos e "facilidades" inexistentes. 

ME ATAQUEM, mas no fundo, mesmo quem comprou, sabe que existe um "Q" de verdade.